7 dicas para abrir sua própria factoring

O Brasil é um país de empreendedores. Mesmo diante da crise, o número de aberturas de empresas subiu 20% no último ano, demonstrando que é possível superar obstáculos com criatividade e identificação de oportunidades.

Uma das maneiras de ingressar no mercado como empresário é encontrar formas de auxiliar outros empreendedores a desenvolverem seus negócios, com uma factoring, por exemplo.

O fomento mercantil é o recurso utilizado por milhares de pequenos e médios empreendedores para garantir capital de giro e fluxo de caixa sem precisar recorrer a empréstimos bancários. Então, por que não optar por esse mercado e tornar-se também um pequeno ou médio empreendedor?

Precisa saber por onde começar? Confira 7 dicas para abrir sua própria factoring agora mesmo!

 

Fale com seu contador

O primeiro passo para abrir uma factoring com segurança é contar com o auxílio de um contador, o profissional ideal para orientar o processo de abertura de qualquer empresa. Indicando que você deseja abrir uma factoring, ele listará todos os documentos a providenciar, normas e regulamentos a seguir.

 

Defina seu capital social

O capital social é o valor inicial investido no negócio. Não existe limite mínimo ou máximo, contudo, como seu trabalho será comprar títulos de outras empresas, é recomendável que você tenha um bom valor disponível para realizar essas operações, lembrando que as factorings são impedidas de obter aporte de capital de terceiros.

 

Identifique seu regime tributário

O regime tributário é de suma importância para que você mantenha a factoring dentro da legislação vigente e evite pagar impostos indevidamente. Neste quesito, não há muita variação, pois as factorings são obrigadas a aderir ao regime de Lucro Real.

 

Faça uma pesquisa na Junta Comercial

Uma vez que você tenha decidido o nome da sua empresa, é necessário fazer uma pesquisa na Junta Comercial da sua cidade para saber se existem outras empresas com o mesmo nome e atividade. Não havendo impedimentos, o processo de abertura da sua factoring pode seguir.

 

Obtenha o aval da prefeitura

A atividade de uma factoring é considerada como serviço, portanto, está sujeita à tributação do município. Sendo assim, você precisa de alvará de funcionamento emitido pela prefeitura. O contador pode auxiliar na preparação dos documentos e protocolo dos mesmos nos órgãos responsáveis.

 

Considere os impostos a serem pagos

Um erro grave de muitos empresários ao abrirem uma factoring é esquecerem de levar em consideração os custos fiscais e tributários inerentes à atividade. Obviamente, o contador indicará quais são os recolhimentos a serem feitos, mas vale a pena saber desde já os impostos a serem recolhidos: imposto de renda pessoa jurídica (IRPJ); contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL); programas de integração social e de formação do patrimônio do servidor público (PIS/PASEP); e contribuição para financiamento da seguridade social (COFINS).

 

Faça seu cadastro no Sindisfac/MG

A adesão ao sindicato da categoria da sua região é essencial para obter o apoio necessário à sua atividade. No Sindisfac/MG, orientamos nossos filiados na abertura e manutenção dos negócios e damos suporte com cursos, palestras e benefícios a serem conferidos no momento do seu cadastro.

Não fique sozinho nessa, entre em contato e faça a abertura da sua factoring com segurança!

 

 

Deixe um comentário

You must be logged in to post a comment.